22 novembro 2017

PLANO DE AULA: MEDIDAS DE COMPRIMENTO

novembro 22, 2017 0 Comments

Fonte: https://pt.pngtree.com/freepng/creative-cartoon-illustration_998673.html

PLANO DE AULA

Tema: Medidas de comprimento.
Eixo: Matemática.
Público: 4º ano do Ensino Fundamental.
Duração: 4 h/aula.



OBJETIVOS


  • Compreender e utilizar o conceito de medidas padronizadas e não padronizadas; 
  • Reconhecer a importância social da adoção de medidas padronizadas. 

CONTEÚDOS


  • A medida ligada a ideia de "quantas vezes cabe"
  • Medidas não padronizadas e padronizadas.


RECURSOS

• Papel kraft;
• Retângulos medidos previamente para fazer as réguas sem marcações;
• Vídeo;
• Projetor digital;
• Régua.

DESENVOLVIMENTO

Levantamento de conhecimentos prévios.  

Assista o vídeo:  "Escolinha de Ferramentas do Manny: Como medir as coisas"




Fonte:https://www.youtube.com/watch?v=QN42Tdh-Uxs

DISCUSSÃO SOBRE O VÍDEO 

Faça uma breve discussão com os alunos ressaltando os pontos relevantes em relação ao sistema de medidas de comprimento. Faça anotações das informações relevantes.


Fonte: https://www.freepik.es/vector-gratis/fondo-de-ninos-en-clase_1021833.htm

Apresente a sala alguns objetos que padronizam o sistema de medida como: régua ,fita métrica entre outros.


Instigue os alunos a refletir sobre como eram as unidades de medidas antes da existência desses equipamentos.


Inmetro - O tempo todo com você


Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=3ojA2MKMoGA&t=9s

CONSTRUÇÃO DE UMA RÉGUA SEM MARCAS 

Proponha a construção de uma régua sem marcas. Realize as medidas utilizando marcas (em os centímetros).







ATIVIDADE EM GRUPO 

Separe os alunos em quatro grupos que vão usar diferentes sistemas de medidas. 

Grupo 1 - Medidas com as palmas das mãos ( não padronizadas).


 Fonte: https://br.freepik.com/vetores-gratis/fundo-do-arco-iris-alegre-com-as-criancas-as-maos-levantadas_949398.htm

Grupo 2 - Medidas com a fita métrica (padronizadas)
Fonte:https://pixabay.com/pt/fita-m%C3%A9trica-medida-cent%C3%ADmetro-1860811/

Grupo 3 - Medindo com os pés ( não - padronizadas).



Fonte: https://pixabay.com/pt/p%C3%A9s-dedos-do-p%C3%A9-pedicure-olhos-42939/

Grupo 4 – Régua sem marcas





Todos os grupos vão selecionar um componente do seu grupo para ser medido por cada um dos membros. Os resultados devem ser marcados em um cartaz para depois compartilhar com todos da sala.


APRESENTAÇÃO DOS GRUPOS 




Fonte: https://pixabay.com/pt/equipe-unidade-celebra%C3%A7%C3%A3o-dan%C3%A7a-150149/

Os alunos vão apresentar para os colegas o que observaram durante a atividade. ´
E importante que os grupos que usaram medidas padronizadas encontrem medidas iguais enquanto os que usaram medidas não - padronizadas obtenham medidas diferentes.


QUESTIONAMENTOS SUGERIDOS DURANTE A APRESENTAÇÃO.

As medidas utilizadas ficaram iguais?
Vocês sentiram dificuldade em usar esse tipo de sistema de medida? 
Porque vocês acham que as medidas foram padronizadas?

REFERÊNCIA

PDE Gestar I - Sistema Nacional de Profissionais da Educação Básica.



LEIA TAMBÉM!

ATIVIDADES  - SISTEMAS DE MEDIDA 

11 novembro 2017

ARTE - LEITURA DE OBRA: NAVIO NEGREIRO

novembro 11, 2017 0 Comments
O Navio Negreiro (William Turner, 1840)
90 cm de altura por 122 cm de largura. Tinta a óleo sobre tela.
Museu de Belas Artes, Boston.

William Turner (1775-1851) não foi apenas um grande

paisagista do século XIX, mas um crítico em relação à escravidão. Seu posicionamento mexeu com os ânimos de muitos. Foi acusado de insanidade e rejeitado por muitos críticos na época.
Todo esse alvoroço foi causado pela obra "O Navio Negreiro ", de 1840, que denunciou uma chacina ocorrida no ano de 1783 no navio Zong, 60 anos antes dessa pintura ser realizada.


No percurso entre África e Jamaica alguns escravos foram acometidos de uma doença que espalhou-se nos porões do navio. Para não perder dinheiro, já que o seguro dos escravagistas não cobria perdas de morte por doenças, somente perdas de homens ao mar, o capitão tomou a decisão de jogar no vasto oceano todos os escravos adoentados. 

Tomados pelo desespero e lutando por suas vidas, 132 homens, mulheres e crianças, lançados à deriva, tentaram em vão manter-se vivos. Porém, o mar do Caribe era repleto por tubarões que dilaceraram os corpos. Os poucos que conseguiram escapar deste primeiro cenário, acabaram morrendo afogados. Anos depois, essa história foi descoberta na Inglaterra e causou grande comoção entre as pessoas, provocando discussões que culminaram na libertação dos escravos.

ANALISANDO ELEMENTOS DA OBRA

Nota-se que a técnica utilizada por esse artista revela pinceladas expressivas. Todo o terror, a violência são manifestados em cores que fundem-se umas nas outras, trazendo à tona os momentos obscuros evidenciados na pintura. As cores quentes são predominantes.

A composição apresenta vários elementos que contribuem para a construção de uma a cena trágica. Partes de corpos dos escravos flutuando nas águas, o navio sendo quase virado, o sofrimento, a luta pela vida.

Mesmo após tantos anos, essa pintura dimensiona os horrores vividos pela escravidão, sendo considerada uma das maiores obras inglesas do século XIX.

MATERIAL DE APOIO PARA O PROFESSOR
SUGESTÃO DE VÍDEO. 

Turner, Slave Ship 
Vídeo documental dirigido por Beth Harris e Steven Zucker.
Narradores: Beth Harris e Lori Landay.
Duração: 4 minutos e um segundo.



REFERÊNCIAS

SMARTHISTORY: Art, History, Conversation Turner, Slave Ship. Vídeo. Youtube. 17 de dezembro de 2012. Acesso em 3 de novembro de 2017.

WIKIPEDIA. A enciclopédia livre que todos podem editar.

GAGLIARDI, Caio. Pleno Mar – A Bordo dos Navios de Castro Alves, Samuel Taylor Coleridge, J. M. William Turner e Gustave Doré. Caderno Eletrônico. Campinas: Crítica & Companhia, 09 de dezembro de 2005. Acesso em 31 de outubro de 2017.



LEIA TAMBÉM!

04 novembro 2017

MATEMÁTICA: CONTAGEM COM URSINHO POOH

novembro 04, 2017 0 Comments

Fonte:http://www.eovideolevou.com.br/img/capaFilme.png


Conteúdo elaborado por  Andréa Gonçalves  e Débora d´Pádua 


Sequência de Atividades
Eixo: Matemática
Público Alvo - Infantil - III
Duração - Uma semana



JUSTIFICATIVA
De acordo com Monteiro ( 2010 ) às crianças , desde muito cedo, entram em contato com grande quantidade e variedade de noções matemáticas. Descobrem um universo vasto onde: agrupam, comparam, organizam, classificam, realizam marcações de tempo, exploram tamanhos , pesos, observam propriedades e quantidades , calculam equivalências, tamanhos ou formas de objetos ...
Esses conhecimentos, assistemáticos e heterogêneos, variam, em maior ou menor grau, de acordo com a cultura e o meio social aos quais as crianças pertencem e constituem um bom ponto de partida para novas aprendizagens. ( Monteiro, 2010, p.1).
Cabe às Instituições de Educação Infantil articular essas experiências extraescolares com os conhecimentos matemáticos socialmente construídos. para isso, é necessário organizar situações que desafiem os conhecimentos iniciais das crianças, ampliando-os e sistematizando-os.

OBJETIVO GERAL


  • Identificar os números em seu cotidiano.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
  • Reconhecer os numerais em diferentes locais.
  • Realizar contagem oral através de atividades, jogos e brincadeiras.
  • Exercitar a escrita dos numerais.


CONTEÚDOS
  • Utilização da contagem oral em brincadeiras e em situações nas quais as crianças reconheçam sua necessidade.
  • Conhecimento do símbolo numérico em diferentes locais do cotidiano.
  • Registro de numerais através da escrita.

RECURSOS

  • Cola
  • Tesoura
  • Revistas
  • Cartolina
  • Vídeo
  • TV ou Projetor

DESENVOLVIMENTO

Levantamento de conhecimentos prévios.


Faça uma rodinha com a turminha e levante os seguintes questionamentos.
Vocês sabem o que são números? Para que eles servem? Onde podemos encontrar os números? 

Anote todas as observações das crianças ( na lousa ou em papel Kraft ) de forma que fiquem expostas.




Fonte- https://pt.pngtree.com/freepng/a-classroom-teacher_3487660.html

Assistindo o filme : Ursinho Pooh 1,2,3 Descobrindo os Números e as Contas  

Convide os alunos para assistir o vídeo: Ursinho Pooh 1,2,3 Descobrindo os Números e as Contas.


Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=vgOIAJBukmc

Posteriormente, pergunte às crianças porque contar é importante?
                                                                                                                          
Hora da pesquisa - Onde encontramos os números?

Organize a sala em pequenos grupos ( 4 ou 5 alunos) . Ofereça cola ,tesoura , revistas , uma cartolina. Nesta atividade as crianças terão que procurar os números em diferentes lugares como : sapato, relógio ,calendário...


Fonte:https://br.freepik.com/vetores-gratis/muitas-criancas-leitura-e-trabalho-em-grupo-na-escola_1046799.htm


Contando através de canções…

Durante o filme “Ursinho Pooh 1,2,3 Descobrindo os Números e as Contas” existe várias canções que podem ser exploradas em sala de aula.




LETRA DA MÚSICA / CORUJÃO

ENSINANDO A CONTAR

CONTE, CONTE, NÚMEROS QUE CONTAM
QUANTAS COISAS VOCÊ TEM
É COM NÚMEROS QUE A GENTE CONTA
VEM CONTAR VOCÊ TAMBÉM



Depois de todos estarem familiarizados com a canção, pergunte  se os alunos conhecem outras músicas  que ensinem a contar ou apresente os números. 
Faça uma lista de canções e sugira cantar  algumas para que todos possam se familiarizar com elas.







  Fonte - https://pt.pngtree.com/freepng/cute-kids_2821944.html

APROFUNDANDO OS ESTUDOS


TRABALHANDO COM PANFLETOS

Solicite que os alunos tragam panfletos de supermercado ou farmácia.
Peça que observem os numerais nesses gêneros textuais. Questione pra que servem essas informações
Depois, marque quantos alunos trouxeram os panfletos de supermercados e de farmácia.
Após, construa um gráfico em barras para que visualizem a  quantidade de panfletos.

HORA DA BRINCADEIRA

Amarelinha





Fonte:https://png.pngtree.com/element_origin_min_pic/16/09/20/2357e158c17f343.jpg


Regras
1. Organize as crianças em fila única. 

2. Cada jogador precisa de uma pedrinha ou tampinha (ou uma folha de papel bem amassada, no caso de crianças menores).

3. Quem começar joga a pedrinha na casa marcada com o número 1 e vai pulando de casa em casa, partindo da casa 2 até o céu.

4. Só é permitido pôr um pé em cada casa. Quando há uma casa do lado da outra, pode pôr os dois pés no chão.

5. Quando chegar no céu, o jogador vira e volta pulando na mesma maneira, pegando a pedrinha quando estiver na casa 

6. A mesma pessoa começa de novo, jogando a pedrinha na casa 2.

7. Deve retomar do início aquele que:

– Pisar nas linhas do jogo

– Pisar na casa onde está a pedrinha

– Não acertar a pedrinha na casa onde ela deve cair

– Não conseguir (ou esquecer) de pegar a pedrinha de volta

8. Ganha quem terminar de pular todas as casas primeiro.


Momento de contagem.
 
Proponha aos alunos contar quantas casas há na amarelinha.

Avaliação.

Observação do desempenho dos alunos através de planilha.

POSTAGENS MAIS POPULARES

Seguidores

Visite meu Twitter

Siga me no Twitter