02 setembro 2017

SÍNDROME DE HIPERCINÉTICA: COMO ELABORAR UMA ROTINA REALMENTE EFETIVA

Por Andréa Gonçalves



O QUE É SÍNDROME DE HIPERCINÉTICA?

De acordo com Glöckler (2010) esta nomeclatura está sendo utilizada para crianças que apresentam comportamentos como: excesso abusivo de impulsos motores, transtornos de atenção, controle deficiente de impulsos e reduzida capacidade para inibição de reações emocionais.
Desta forma, planejar uma rotina que chame atenção deste tipo de criança e mantê-la em sala de aula é um desafio.
Tive um aluno até hoje com esse diagnóstico e compartilho com vocês cinco ações que foram essenciais para o sucesso do trabalho desenvolvido.


ESTRATÉGIAS EM PROL DO ALUNO HIPERCINÉTICO



1. DIMINUÍMOS O TEMPO QUE FICAVA NA ESCOLA 

Conversando com a família identificamos que o aluno ficava impaciente com o tempo que passava na escola. Por esse motivo, resolvemos diminuí-lo para três horas. Isso minimizou sua ansiedade e auxiliou na inclusão da rotina.



2. OBSERVAMOS TUDO O QUE LHE CHAMAVA ATENÇÃO

Começamos a observar tudo o que prendia a atenção da criança e a partir disso fomos elaborando sequências de atividades em consonância com essas curiosidades, porém, tendo em vista os objetivos propostos pela rede de ensino.



3. ELABORAMOS UMA ROTINA COM IMAGENS

Essa rotina ficou fixada em um cantinho da sala e além disso ela era relembrada todos os dias pelo aluno com ajuda da estagiária. Este exercício deu mais segurança a criança para que ela soubesse o que ia ocorrer durante o dia de aula.






4. DIMINUÍMOS O TEMPO DE ATIVIDADES

Uma boa estratégia foi optar por atividades com resoluções rápidas para que o aluno não ficasse muito tempo. Os desafios foram sim considerados, porém, aumentaram gradativamente de acordo com as respostas do aluno.



5. O AJUDAMOS A CONCENTRAR-SE

Uma outra estratégia utilizada foi oferecer a massinha toda vez que o aluno quisesse se levantar e não fazer as atividades. Manuseando este material a criança ficava mais tranquila e assim conseguia responder corretamente os questionamentos dos educadores.
Ressalto que todo esse trabalho só foi possível com a parceria de toda a equipe escolar: Gestores, psicopedagogo, professor de educação especial e estagiária.
 ···· ···· ⟱ ···· ····


REFERÊNCIAS


FREEPIK, Imagens Vetoriais. Recursos Gráficos para Todos.

GLÖCKLER, Michaela. A Síndrome Hipercinética na Idade Infantil. ABMA, Revista Arte Médica Ampliada, Ano XXX, N° 2, inverno/2010. Tradução do original Zum hyperkinetischen Sindrom im Kindesalter, aus Elternsprechstunde de Nilo E. Gardin. Acesso em 25 agosto de 2017.


0 comentários: