«UM BOM EDUCADOR ABRAÇA QUANDO TODOS REJEITAM; ANIMA QUANDO TODOS CONDENAM; APLAUDE OS QUE NUNCA SUBIRAM AO PÓDIO; VIBRA COM A CORAGEM DE DISPUTAR DOS QUE FICARAM NOS ÚLTIMOS LUGARES. NÃO PROCURA O SEU PRÓPRIO BRILHO, MAS FAZ-SE PEQUENO PARA TORNAR OS SEUS FILHOS, ALUNOS E COLEGAS DE TRABALHO, GRANDES». (AUGUSTO CURY)

23 setembro 2017

PROJETO: O COLECIONADOR DE SACIS

Por Débora D' Pádua

SEQUÊNCIA DIDÁTICA

Tema: O colecionador de Sacis. Comunicação em quadros, um universo repleto de possibilidades.
Eixos: Língua Portuguesa, Artes, História.
Público: 9º ano do Ensino Fundamental.
Duração: De 1 a 2 meses.
Observação: Todos os textos, incluindo a entrevista que desencadeará todo o trabalho, aparecem embaixo, nas referências.


JUSTIFICATIVA

Trabalhar a cultura popular, as diversas lendas e personagens que compõem a riqueza folclórica brasileira a partir do trabalho de um quadrinista pernambucano cujos personagens de mangás estão baseados em personagens de nosso folclore.
Revista em quadrinhos é uma forma de animação em sequencias de quadros que expressam e narram os mais variados gêneros e estilos da comunicação escrita. Pode ter outras denominações como HQ, comic, mangá, gibi etc. Todos esses termos se referem a um mesmo formato de comunicação escrita com nomes diferenciados segundo os países que produzem e consomem tais publicações, e o estilo artístico-temático delas.
Trata-se de uma forma dinâmica e divertida de compreender a literatura através da linguagem artística que, por consequência, ampliará o universo de interesse pela leitura escrita e a produção deste estilo textual. Por apresentar muitas possibilidades comunicativas e os mais variados estilos de desenhos e artes na composição das histórias, o aluno irá explorar o lúdico para compreender tais expressões que serão fundamentais no seu desenvolvimento global.
Conhecer o surgimento e a evolução histórica da comunicação desenhada em quadrinhos (que remontam a pré-história até os dias atuais), assim como abordar os aspectos políticos contidos em charges e tirinhas de diferentes épocas (compreendendo fatos e acontecimentos desde um ponto de vista bastante especifico), permitirão desenvolver tanto a criticidade quanto a sensibilização estética dos alunos.

OBJETIVO GERAL

Se valer da comunicação em quadros como estrategia facilitadora do processo de ensino-aprendizagem interdisciplinar partindo de algumas tipologias e autores do gênero para que os alunos descobram as particularidades comunicacionais, explorem ludicamente novas possibilidades expressivas da riqueza folclórica brasileira; e formem suas opiniões através de releituras.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS

  • Resgatar a cultura popular passada de boca em boca através do tempo em recriações de lendas e personagens folclóricos;
  • Aumentar o repertório de vocabulário, sensibilidade estética, reconhecimento de gêneros literários, e a criticidade;
  • Desenvolver trabalho interdisciplinar de maneira prazerosa desde as rodas de discussão e, principalmente na produção das histórias e tirinhas;
  • Compreender o conceito de folclore;
  • Reconhecer que histórias em quadrinhos remontam a pré-história (tempos em que o homem se comunicava antes do desenvolvimento da linguagem escrita);
  • Discernir as variedades temáticas do gênero desde as expressões artísticas nas diferentes abordagens;
  • Compreender a importância política de charges e tirinhas em variados momentos históricos;
  • Estimular o aluno a trabalhar com diferentes possibilidades de mídias digitais.

CONTEÚDOS

• Cultura popular;
• Gêneros literários;
• Sensibilização artística;
• Discussão critica.

MÍDIAS E MATERIAIS

• Televisão;
• Computadores;
• Data show;
• Folhas de papel A4 e cartolina.
• Lápis, canetinhas, tintas, pincéis, tesoura, adesivo, revistas, etc.

METODOLOGIA

INTRODUÇÃO

1º Momento Atividade desencadeadora
Leitura da entrevista realizada pelo blog Colecionador de Sacis ao quadrinista pernambucano Odoberto Lino.

2º Momento > Debate, criação e opinião
Discussão, produção escrita e reescrita de uma revista em quadrinhos.
Montagem de uma lista sobre a história da comunicação em quadros de desenhos e sua importância ao longo dos anos.
Avaliação das críticas sociais contidas neste gênero e suas mudanças conforme a época.

3º Momento > Novas formas de expressão
Incursão nas tecnologias digitais para a produção de histórias em quadros.


LÍNGUA PORTUGUESA

1º Momento Interpretando a entrevista
Listar as características que aparecem ressaltadas pelo quadrinista daqueles personagens atrelados ao folclore brasileiro.
Efetuar a análise escrita com abordagem do jornalismo eletrônico.
Explorar o gênero de revistas em quadrinhos em temas literários diferenciados.
Escrever uma revista em quadrinhos.
Montar esse material no computador utilizando editores de imagens.

2º Momento Trabalhando em sala de aula
Ler e interpretar a reportagem. O aluno já deve ter sido apresentado a definição do conceito de folclore. Veja no blog o texto base.
Apresentar um resumo escrito, individual.
Analisar a reportagem em sala de informática: Que personagens o quadrinista explora mais? Dentro da linha folclórica, quais seriam as características? De onde surge as lendas dos diferentes personagens?
Discussão em sala de aula. É importante que a classe esteja organizada em "U" para uma melhor apreciação, e também para estimular a fala de todos sobre suas anotações.
Descobrir qual é o estilo de texto em que o gênero de comunicação em quadros é apresentado.

3º Momento Pautando as tarefas para casa
Assistir ao filme Guerra Civil.
Discutir brevemente o longa-metragem, deixando claro que está baseado em HQ’s.
Perguntar se conhecem personagens ou curiosidades à respeito dos mesmos. É importante que a sala esteja organizada em "U" para uma melhor apreciação, e também para estimular a fala de todos.
Pesquisar as diferenças e semelhanças das diversas classes de comunicação em quadrinhos. Cada grupo de três alunos irá explorar um tipo, e na pesquisa deverá constar: Evolução histórica, linguagem usada, público alvo para o qual está dirigido, argumentação do porquê chegaram a tais conclusões. Esse estilo... Teve desdobramentos para outros segmentos de mídias? Quais? (Deve estar claro para o aluno o que são mídias).
Apresentar à turma o trabalho da pesquisa.
Começar a produção textual de uma revista em quadrinhos, que será desenvolvida em grupo e terá como objetivo a apresentação para a escola em murais ou espaços previamente combinados. Consequentemente, este trabalho excederá o espaço da sala de aula. Veja nas referências o link para o texto base.


ARTES

1° Momento Trabalho em sala de aula/tarefas para casa
Interpretar a entrevista. O aluno já deve, neste momento, ter sido apresentado à definição do conceito de folclore; conferir no blog o texto base.
Listar as características dos personagens abordados pelo quadrinista que estejam atreladas ao folclore brasileiro.
Apreciar a estrutura de imagens, cores e temas.
Entender e trabalhar com os diferentes tipos de histórias em quadrinhos: Tirinhas, Revistas em Quadrinhos e Mangás.
Verificar quais recursos de figuras, imagens e textos abordam cada uma delas, apresentando em sala todas as formas embora sejam exploradas apenas três.
Veja nas referências o link para o texto base.

TIRINHAS



REVISTA EM QUADRINHOS


MANGÁS


2º Momento Além da sala de aula
Esta atividade deverá ser realizada excedendo o espaço da classe, em etapas, ressaltando cada estilo, explorando a percepção dos alunos e sua expressão verbal.
Analisar e listar as observações apreciadas pelo aluno.
Desenvolver uma revista em quadrinhos. Este trabalho deverá estar bastante alinhado com a disciplina de Língua Portuguesa, pois em Artes as produções escritas deverão ser ilustradas com o uso de tintas, lápis, canetinhas ou colagens, dentre outras técnicas.


HISTÓRIA

FOLCLORE BRASILEIRO

1º Momento Trabalho em sala de aula/tarefas para casa
Apresentar aos alunos o que é folclore brasileiro. O aluno já deve, neste momento, conhecer o conceito de folclore; conferir no blog o texto base.
Expor ao aluno a evolução histórica da comunicação em quadros.
Explicitar a importância política de algumas charges e tirinhas pertencentes a momentos históricos diferentes.


ANTES, DURANTE E PÓS SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

2º Momento Pesquisa e relatório sobre a II Guerra Mundial
Pesquisar em grupos os desdobramentos que culminam na Segunda Grande Guerra e o término da mesma apresentando um relatório ao professor, quem deverá fazer um breve resumo sobre o episodio, elencando previamente os aspectos mais gerais. Esta investigação excederá o espaço e o período da sala de informática; consequentemente, poderá ser uma "tarefa de casa".
Exibir as tirinhas e charges que explorem o período do antes, do durante e da pós-II Guerra.
Apreciar e explorar as imagens já correlatas aos conhecimentos anteriormente adquiridos.
Consultar mais charges com observações detalhadas e enriquecedoras no Blog do Professor Maurício, em A Ideologia do Espaço Vital.

Antes da 2GM

Após a 2GM

3º Momento > Análise crítica e produção
Utilizar tirinhas do Henfil que retratem as dificuldades políticas brasileiras.
Pedir para que os alunos interpretem a imagem que segue debaixo e relatem qual situação está sendo deflagrada pelo cartunista.
Pedir que desenvolvam uma tirinha de até três quadros (ou uma charge) que represente temas da atualidade.
Cada aluno falará sobre o tema escolhido. Neste momento a sala deverá estar organizada em "U" facilitando uma melhor apreciação e comunicação.

NO BRASIL


CULMINÂNCIA

As atividades chegarão ao fim quando os trabalhos em quadrinhos sejam expostos ao público.
A revista digital permitirá que o aluno possa explorar diversos programas gratuitos de edição de texto, fotos e desenhos.

AVALIAÇÃO

Esta instância final será resultado da participação das atividades propostas.

OBSERVAÇÃO

Alguns textos serão explorados nas três disciplinas. Importante lembrar que cada professor tem uma abordagem diferente, o que resulta muito enriquecedor para o aluno. Por exemplo, uso de mídias como data show com apresentação de imagens; ou as danças folclóricas que podem ser exploradas em Artes. Em História, focar na importância dos relatos e comportamentos passados de geração em geração na manutenção de importantes aspectos da cultura popular. Cada um irá escolher a maneira de explorar a proposta do texto desencadeador.

 ···· ···· ⟱ ···· ····


REFERÊNCIAS


BARBOSA, Alexandre; RAMA, Ángela; RAMOS, Paulo, VERGUEIRO, Waldomiro; VILELA, Túlio. Como Usar as Histórias em Quadrinhos na Sala de Aula. São Paulo: Editora Contexto, 2004.

COSTA, Andriolli. Entrevista: Folclore Brasileiro Inspira Mangás de Quadrinista Pernambucano. Blog Colecionador de Sacis. 02 de março de 2016. Acesso em 30 de agosto de 2017.

DANTO, Arthur C. Após o Fim da Arte. São Paulo: EDUSP, 2010.

EISNER, Will. Narrativas Gráficas. São Paulo: Devir, 2008.

EISNER, Will. Quadrinhos e Arte Sequencial. São Paulo: Devir, 1999.

ERSON, Douglas. O Conceito de Revista em Quadrinhos e Literatura: Porque Persistem as Diferenças. Blog (En)cena. 01 de janeiro de 2015. Acesso em 30 de agosto de 2017.

MAUTEX JR. Segunda Guerra Mundial em Charges. Blog Professor Maurício. 30 de abril de 2014. Acesso em 30 de agosto de 2017.

JUNIOR, Gonçalo. A Guerra dos Gibis. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

MULTIMIDIA HQ. Afinal, o Que É História em Quadrinhos? Blog HQ na Escola. 27 de janeiro de 2010. Acesso em 30 de agosto de 2017.

PATATI, Carlos; BRAGA, Flávio. Almanaque dos Quadrinhos. Rio de Janeiro: Ediouro, 2006.


0 comentários: