«UM BOM EDUCADOR ABRAÇA QUANDO TODOS REJEITAM; ANIMA QUANDO TODOS CONDENAM; APLAUDE OS QUE NUNCA SUBIRAM AO PÓDIO; VIBRA COM A CORAGEM DE DISPUTAR DOS QUE FICARAM NOS ÚLTIMOS LUGARES. NÃO PROCURA O SEU PRÓPRIO BRILHO, MAS FAZ-SE PEQUENO PARA TORNAR OS SEUS FILHOS, ALUNOS E COLEGAS DE TRABALHO, GRANDES». (AUGUSTO CURY)

04 maio 2012

>> Atividades: projeto Nosso Povo


Projeto: “Nosso Povo”


Professora: Andréa Flávia de Brito Gonçalves Infantil I


Duração: 1º semestre

Eixos: Artes Visuais, Música e Movimento.


Proposta de Trabalho

1ª parte

Os índios e a região sudeste

O artesanato

Atividade desencadeadora: Os índios do Brasil


OD-A educadora vai levar para a escola a música Tu tu tu Tupi. Depois vai questionar os alunos perguntando a eles de quem a música fala. Depois os alunos irão representar.


Exploração de mapa para situar as crianças /localização no mapa região sudeste.


- A arte indígena:

– Arte com tear


(material de apoio – tiras de papel dobradura coloridos e bases coloridas)


1ªetapa- Os índios e o artesanato – Momento de reflexão e apreciação.

OD-A educadora vai atentar os alunos sobre a importância dos índios na construção da cultura da região sudeste como o artesanato. Vai apresentar fotos de diversos objetos construídos por eles.
2ªetapa – Produzindo peças indígenas.

OD- Utilizando argila, a educadora vai orientar os alunos para que eles possam confeccionar peças.
3ªetapa – Brincadeira de índio.

OD-Nesta etapa a educadora vai propor aos alunos que eles construam um brinquedo muito utilizado pelos índios, depois todos vão sair para brincar fora da sala.


4º Momento- Apreciando obras de arte
OD- A educadora vai levar para a sala de aula várias cópias de diferentes obras de arte de Lena Hali fazendo observações , junto com alunos sobre os elementos que a compõe. Depois eles vão escolher a obra que mais gostaram para fazer uma interferência na obra





Plano semanal


Projeto:”Nosso Povo” Período: verpertino Professora:Andréa sala:Infantil - I

HORÁRIOS
SEGUNDA-FEIRA
05/03/2012
TERÇA-FEIRA
06/03/2012
QUARTA-FEIRA
07/03/2012
QUINTA-FEIRA
08/03/2012
SEXTA-FEIRA
09/03/2012
13h20m - 13h30m
DESPERTAR
DESPERTAR
DESPERTAR
DESPERTAR
DESPERTAR
Tema da aula:
Atividade de conhecimentos prévios
A arte indígena
Arte com argila
Arte com argila
É hora de pintar!!!
13h30m - 14h00m
Música :Tu tu tu Tupi
Roda de conversa sobre a música
Roda da curiosidade
Imagens da arte indígena
Roda da curiosidade
A arte com argila confeccionada pelos índios
Roda de curiosidade
Sobre o uso de elementos naturais por parte dos indígenas
Roda da curiosidade
A arte com plumas
14h00m - 14h30m
Caracterização dos alunos com roupas de índios
Representando a arte indígena através do barbante
Oficina de criação
Confeccionando vasos
Oficina de criação
Confeccionando tintas com elementos naturais
Oficina de criação pintura de vasos
14h30m -15h00m
Parque
Parque
Parque
Parque
Parque
15h00m - 15h30m
Lanche
Lanche
Lanche
Lanche
Lanche
15h30m - 16h00m
Localizando a região sudeste no mapa.
Oficina de criação:
Colagem com barbante
No sulfite
Continuação da atividade
Continuação da atividade
Continuação da atividade
16h00m - 16h30 m
Quebra- cabeça da região sudeste
Jogo Curumim vai pra oca!(como coelhinho sai da toca)
Jogos de encaixe
Jogo Caça Onça
Brincadeira da Tribo Pareci


Brincadeira da Tribo Bororó


16h40m - 16h50m
SUCO
SUCO
SUCO
SUCO
SUCO
16h50m - 17h00m
Hora da História
Hora da História
Hora da História
Hora da História
Hora da História
17h00m - 17h10m
Organização da sala
Organização da sala
Organização da sala
Organização da sala
Organização da sala
17h10m - 17h20m
SAÍDA
SAÍDA
SAÍDA
SAÍDA
SAÍDA

1- Curumim vai pra Oca!!!

Material:Arcos (bambolês)

Jogando:
Distribuir os arcos aleatoriamente pelo chão. Iniciar com a mesma quantidade de criançasparticipantes.
As crianças devem caminhar entre os arcos, ao sinal do professor“Curumim vai pra Oca!!!” devem entrar no arco. Os arcos devem ser suprimidos um a um a cada rodada.

Dica:Entrar no arco que estiver mais perto. Prestar atenção no professor.

2- Caça à onça.

Material:Arcos

Jogando:
Distribuir os arcos pelo chão aleatoriamente.
Escolher uma criança para pegador (índio) e os demais serão as onças.
Para a onça não ser pega deve entrar na toca (arcos). Quando a onça for pega, vira índio e o índio vira onça.


3- EMABrincadeira da Tribo Pareci


Material: Nenhum

Jogo: Crianças formam uma roda, com um dos participantes no meio. A meta é tentar sair da roda. Quando conseguir todos devem correr atrás e tentar pegá-lo. O professor deve garantir que todos estejam no meio da roda pelo menos uma vez.


4- JÚRE – Brincadeira da Tribo Boro
Material: Giz
Jogo: Traçar um caminho no chão onde as crianças devem percorrer em um pé só. Esse caminho foi feito por uma enorme cobra. Comece fazendo caminhos fáceis e vá dificultando. Peça ajudapara as crianças na construção dos caminhos. Cada um pode fazer o seu e depois experimentar o do outr
Plano semanal
Projeto:”Nosso Povo” Período: verpertino Professora:Andréa sala:Infantil - I
HORÁRIOS
SEGUNDA-FEIRA
12/03/2012
TERÇA-FEIRA
13/03/2012
QUARTA-FEIRA
14/03/2012
QUINTA-FEIRA
15/03/2012
SEXTA-FEIRA
16/03/2012
13h20m - 13h30m
DESPERTAR
DESPERTAR
DESPERTAR
DESPERTAR
DESPERTAR
Tema da aula:
A arte plumária
A arte indígena
Casa de índio
O índio pintura de corpo
A música indígena
13h30m - 14h00m
Roda da curiosidade
Voltando a falar sobre arte plumária
Roda da curiosidade
Observando imagens de índios brincando
(leitura de imagem)
Roda da curiosidade
Fotos sobre a casa dos índios e discussão sobre este tipo de moradia
Brinquedoteca
13h45 à 14h15m
Observando em fotos a pintura no corpo dos índios
Roda da curiosidade
Ouvindo sons de alguns instrumentos indígenas como chocalho e bastões de ritmo.
14h00m - 14h30m
Oficina de criação
Fazendo arte com arte plumária
Oficina de criação:
Neste momento a professora vai propor aos alunos que construam um pião indígena
Oficina de criação
Criando a casa do índio com diferentes materiais argila, folhas secas.
Oficina de criação
Utilizando as formas e linhas encontradas no corpo dos índios os alunos irão criar uma obra de arte
Oficina de criação
Confeccionando chocalhos
14h30m -15h00m
Parque
Parque
Parque
Parque
Parque
15h00m - 15h30m
Lanche
Lanche
Lanche
Lanche
Lanche
15h30m - 16h00m
Informática
Brincando com o pião indígena
Continuação da atividade
Continuação da atividade
Confeccionando bastões de ritmo
16h00m - 16h30 m
Brincadeira
O cocar do cacique
Brincando com massinha
Momentos nos cantinhos
Brincadeira:
Caçada esquisita
Brincadeira :
Cama de gato
Experimentando
Brincando com os instrumentos confeccionados
16h30m – 16h40 m
SUCO
SUCO
SUCO
SUCO
SUCO
16h40m - 17h00m
Hora da História:
O boitatá
Hora da História
O boto
Hora da História:
A cairara
Hora da História
O curupira
Hora da História
O guaraná
17h00m - 17h10m
Organização da sala
Organização da sala
Organização da sala
Organização da sala
Organização da sala
17h10m – 17h20m
SAÍDA
SAÍDA
SAÍDA
SAÍDA
SAÍDA

"CAÇADA ESQUISITA"
Cada equipe,usando seus colares, recebem uma lista( com figuras) constando de vários objetos com a cor da equipe que deve acha-lo, que deverão procurar na própria sala. A professora vai esconder com antecedência esses objetos. Todos os objetos da lista serão em quantidades iguais a todas as equipesexceto o amuleto que terá apenas um.

Sugestões de objetos: Procure sempre pela cor de sua equipe.
10 penas de ave, 5 folhas secas, 1 flor, 3 espigas de milho, 2 pedras redondas, 1 amuleto de biscuit (bichinho de massinha), 1 graveto em forma de y, 3 sementes
Vence a equipe que conseguir reunir todos os objetos pedidos, portanto, a que conseguir encontrar todos os objetos pedidos incluindo o amuleto, que terá só um escondido.

“O cocar do cacique”
As crianças deverão montar um cocar seguindo a sequência de cores.
Em uma mesa serão colocadas várias penas, de diferentes cores. As crianças se sentarão em fila indiana.A educadora mostrará a elas como será a sequência de cores que eles deverão seguir.Em seguida uma criança de cada vez ( de cada equipe) , levantará indo até a mesa para pegar a pena e continuar o cocar do cacique.

Plano semanal
Período: verpertino Professora:Andréa sala:Infantil - I
HORÁRIOS
SEGUNDA 19/03
TERÇA
20/03
QUARTA
21/03
QUINTA
22/03
SEXTA
24/03
Tema da aula:
Representando o índio
Músicas de índios
Instrumentos indígenas
Máscaras de índios
13h20m - 13h30m
DESPERTAR
DESPERTAR
DESPERTAR
DESPERTAR
DESPERTAR
13h30m - 14h00m
Diversificado
Hora da curiosidade
Observando fotos de índios. A pintura corporal
Diversificado
Hora da curiosidade
Ouvindo sons de instrumentos indígenas
Diversificado
Hora da curiosidade
Observando instrumentos musicais indígenas
Hora da curiosidade
Diversificado
Observando as máscaras de índios
Aula de Artes na sala ambiente
14h00m - 14h30m
Apreciando a música:
As crianças vão refletir. discutir e ilustrar a música
Atividades com
Música
Brincadeiras cantadas com gestos corporais e utilizando o corpo para fazer sons.
Tema : ìndios
Atividades com Música
Experimentando sons diversos com instrumentos indígenas
Brinquedoteca 13h45 às 14h15
Atividades de arte Confeccionando máscaras inspiradas nas máscaras indígenas
Aula de Artes na sala ambiente
14h30m -15h00m
Parque com intervenção
Brincadeiras com bolas
Bolinhas de sabão
Parque com intervenção
Lencinho branco
Pega-pega
Parque com intervenção
Brincando no escorregador
Cabra-cega
Parque com intervenção
Balança caixão
corda
Parque com intervenção
Brinquedos
15h00m - 15h30m
Lanche/higiene
Lanche/higiene
Lanche/higiene
Lanche/higiene
Lanche/higiene
15h30m – 15h45
Roda de conversa
Informática
15h30 às 16 :10
Roda de conversa
Roda de conversa
Aula de Artes na sala ambiente
15h45m - 16h15m
Atividades de Artes
Visuais
Apreciando obra de arte: Iracema
Representar a figura humana “Iracema “ com argila”
Roda de conversa:
16h10m às 16h20m
Atividades de Artes
Confeccionando instrumentos musicais
Tambor
Atividades de Artes Visuais
Confeccionando máscaras
Suporte pratinho de papelão ou plástico, papéis coloridos e tinta)
Aula de Artes na sala ambiente
16h15m - 16h30m
Movimento
Circuito: Com cones, corda e colchão.
Movimento
Andando pela floresta
“Música: Vamos passear na floresta”
Movimento
Usando o tambor confeccionado pelas crianças elas vão dançar utilizando ritmos variados
(os ritmos serão orientados pela professora)
Movimento
Dançando com as máscaras confeccionadas
Aula de Artes na sala ambiente
16h30m – 16h40m
SUCO
SUCO
SUCO
SUCO
SUCO
16h40m – 17h00m
Hora da História
Mulher de Duas Cores
Ilustração da história no coletivo
Hora da História
Onça Maneta
Desenho da história a partir da interferência
Hora da História
Cavalo de três pés
Representação com massinha de modelar
Hora da História
Ipupiara
Dobradura da História
Hora da História
Cineminha.
Documentário sobre o Índio
17h00m – 17h10m
Organização da sala
Organização da sala
Organização da sala
Organização da sala
Organização da sala
17h10m – 17h20m
Saída
Jogos
Saída
Música
Saída
Livrinhos/gibis
Saída
Blocos de construção
Saída
Brincando com bonecas e carrinhos


Histórias da semana:
Mulher de Duas Cores - É uma assombração que aparece de dia, na luz do sol, nas estradas de Minas Gerais, fronteira com São Paulo, ou dentro das pequenas matas. Veste roupa de duas cores, branco-preto, azul-encarnado, azul-amarelo, ...., e não fala, não canta, não resmunga. Limita-se a atravessar caminho, com passo surdo e leve, pisando sem usar o calcanhar, silenciosa, sem olhar para os lados nem para ninguém.
Onça-Maneta - É um animal fabuloso, caracterizado pelo rastro. Onça que perdeu uma das patas dianteiras. É de espantosa ferocidade, força incrível e mais ágil, mais afoita, mais esfomeada que outra qualquer de sua espécie. Aparece inopinadamente, atacando sempre rebanhos, caçadores, viajantes, num arranco desesperado e brutal, como se não comesse há muitos meses. Naturalmente a origem foi uma onça, que, ferida numa pata ou tendo-a decepada em luta, conseguiu fugir aos caçadores e da matilha de cães e, por algum tempo, ferida e doida de raiva, guerreara fazenda e roceiros, numa despedida heroica.
Cavalo de Três Pés - Animal assombroso que apavora as estradas desertas. É um cavalo sem cabeça, com asas e três pés, que aparece à noite nas encruzilhadas, correndo, dando coices e voando. (Bauru, São Paulo). Ataca os viajantes pelas estradas; e aquele que pisar em seu rastro será imensamente infeliz (Capital, São Paulo). É uma das transformações do Saci, em forma de cavalo de três pés, que corre pelas estradas assustando todos os que encontram.
(Ribeirão Preto, São Paulo).”
Ipupiara - é um homem-marino, homem-peixe ou homem-sapo, inimigo dos pescadores e lavadeiras. Criatura de boa estatura, mas era muito repulsiva. Matava as pessoas abraçando-as, beijando-as e apertando-as até o sufocamento. Tais monstros, também devoravam os olhos humanos, narizes, ponta dos dedos dos pés e das mãos e as genitálias.Existiam também na forma feminina, possuindo cabelos longos e eram muito formosas (Iara). O Ipupiara era um ser "bestial, faminto, repugnante, de ferocidade primitiva e brutal.
PLANO SEMANAL
HORÁRIOS
SEGUNDA-FEIRA
26/03
TERÇA-FEIRA
27/03
QUARTA-FEIRA
28/03
QUINTA-FEIRA
29/03
SEXTA-FEIRA
30/03
Tema da aula:
Representando o índio
Músicas de índios
Instrumentos indígenas
Máscaras de índios
Hora de pintar!!!
13h20m - 13h30m
DESPERTAR
DESPERTAR
DESPERTAR
DESPERTAR
DESPERTAR
13h30m - 14h00m
Diversificado
Hora da curiosidade
Observando as máscaras de índios
Diversificado
Hora da curiosidade
Compartilhando a pesquisa feita em casa
Diversificado
Hora da curiosidade
Hora da curiosidade
Diversificado
A alimentação dos índios
Hora da curiosidade
Diversificado
Observando tapete com arte indígena
14h00m - 14h30m
Atividades de arte Confeccionando máscaras inspiradas nas máscaras indígenas
Atividades com
Confecção de cocar
Atividade com cocar
Atividades com Música
Ouvindo músicas de Roberto Carlos”,
“Índia”
Discussão sobre a música
Brinquedoteca 13h45 às 14h15
Atividades com Música
Ouvindo músicas indígenas
Brincando com chocalho
14h30m -15h00m
Parque com intervenção
Brincadeiras com bolas
Bolinhas de sabão
Parque com intervenção
Lencinho branco
Pega-pega
Parque com intervenção
Brincando no escorregador
Cabra-cega
Parque com intervenção
Balança caixão
corda
Parque com intervenção
Brinquedos
15h00m - 15h30m
Lanche/higiene
Lanche/higiene
Lanche/higiene
Lanche/higiene
Lanche/higiene
15h30m – 15h45
Roda de conversa
Informática
15h30 às 16 :10
Roda de conversa
 Roda de conversa
Roda de
conversa
15h45m - 16h15m
Atividades de Artes Visuais
Confeccionando máscaras
Com diversos suportes
Roda de conversa:
16h10m às 16h20m
Ilustração da música
Movimento
Árvores com frutas
Pintando peças de cerâmica
16h15m - 16h30m
Movimento
Brincadeira: Ponte:
Movimento
Brincadeira Rio
Movimento
Caminho da onça:
Teia de aranha:
Pintando peças de cerâmica
16h30m – 16h40m
SUCO
SUCO
SUCO
SUCO
SUCO
16h40m – 17h00m
Hora da História
Lenda da Yara
Desenho com interferência
Hora da História
Lenda do Guaraná
Desenho coletivo
Hora da História
Lenda :A gralha azul
Dobradura
Hora da História
Lenda:Saci
Desenho no papel camurça preto
Hora da História
Cineminha.
Documentário sobre o Índio

17h00m 17h10m
Organização da sala
Organização da sala
Organização da sala
Organização da sala
Organização da sala
17h10m 17h20m
Saída
Jogos
Saída
Música
Saída
Livrinhos/gibis
Saída
Blocos de construção
Saída
Brincando com bonecas e carrinhos

Circuito de Habilidades Motoras - Explorando a Floresta

Brincadeiras de Movimento:
Objetivo específico:
Identificar o espaço ocupado pelo índio (floresta) e suas características principais;
Executar habilidades motoras fundamentais de locomoção, estabilização e manipulação.
Estratégia:
Circuito de habilidades por tempo, contendo 5 estações.
Conteúdo:
Conversa inicial:
Onde o índio vive? O que podemos encontrar na mata? O que vamos encontrar na nossa mata.
1. Ponte:
Material: Banco sueco. Tarefa: Atravessar o banco sueco de várias formas.
Dica de equilíbrio: afastar os braços
2. Rio:
Material: Colchonetes. Tarefa: Saltar para o lado oposto sem molhar o pé (pisar no colchonete)
Dica de impulsão: usar o braço
Dica de aterrisagem: fazer a cadeirinha (flexionar os joelhos)
3. Árvores com frutas:
Material: Objetos pendurados, bolinhas de tênis. Tarefa: Acertar os objetos (frutas na árvore) com as bolinhas.
Dica para arremesso: estender o braço.
Dica para acertar o alvo: olhar para o alvo
4. Teia de aranha:
Material: corda elástica. Tarefa: Passar por baixo/por cima da teia de aranha (corda elástica trançada) sem tocá-la.
Dica de execução: fazer devagar.
5. Caminho da onça:
Material: Cordas, arcos e cones. Tarefa: Percorrer o caminho da onça passando sobre a corda sinuosa, pisando sobre as pedras (arcos) e fazendo zig-zag nas árvores (cones)

Histórias Indígenas
Yara - a rainha das águas

Yara, a jovem Tupi, era a mais formosa mulher das tribos que habitavam ao longo do rio Amazonas. Por sua doçura, todos os animais e as plantas a amavam. Mantinha-se, entretanto, indiferente aos muitos admiradores da tribo. Numa tarde de verão, mesmo após o Sol se pôr, Yara permanecia no banho, quando foi surpreendida por um grupo de homens estranhos. Sem condições de fugir, a jovem foi agarrada e amordaçada. Acabou por desmaiar, sendo, mesmo assim, violentada e atirada ao rio. O espírito das águas transformou o corpo de Yara num ser duplo. Continuaria humana da cintura para cima, tornando-se peixe no restante. Yara passou a ser uma sereia, cujo canto atrai os homens de maneira irresistível. Ao verem a linda criatura, eles se aproximam dela, que os abraça e os arrasta às profundezas, de onde nunca mais voltarão.

Guaraná – a essência dos frutos

Aguiry era um alegre indiozinho, que alimentava-se somente de frutas. Todos os dias saía pela
floresta à procura delas, trazendo-as num cesto para distribuí-Ias entre seus amigos. Certo dia, Aguiry perdeu-se na mata por afastar-se demais da aldeia. Jurupari, o demônio das trevas, vagava pela floresta. Tinha corpo de morcego, bico de coruja e também alimentava-se de frutas. Ao encontrar o índio ao lado do cesto, não hesitou em atacá-lo. Os índios encontram-no morto ao lado do cesto vazio. Tupã, o Deus do Bem, ordenou que retirassem os olhos da criança e os plantassem sob uma grande árvore seca. Seus amigos deveriam regar o local com lágrimas, até que ali brotasse uma nova planta, da qual nasceria o fruto que conteria a essência de todos os outros, deixando mais fortes e mais felizesaqueles que dele comessem. A planta que brotou dos olhos de Aguiry possui as sementes em forma de olhos, recebendo o nome de guaraná.
Lenda da Gralha Azul

               A gralha azul é um Corvideo (família dos corvos), era todo preto e vivia triste pelos pinheiras do sul, um dia, um velho pinheiro que vivia lá no alto da serra de braços aberto.
               Perguntou a gralha:
                  - Porque você és triste ?
                  Ela lhe respondeu:
                 -Sou feia, queria ter a cor do céu.
                Então o velho pinheiro falou, vá no céu buscar sua cor.
           A gralha voou bem alto , mas  bem alto mesmo  e  lá no céu ela olhou seu corpo, e o que seus olhos conseguiam  ver de seu próprio corpo, observou que estava todo azul , somente  ao  redor  da  cabeça onde não conseguiu enxergava , continuou  preto. Ao voltar  para  os pinheirais , ficou tão feliz que seu canto passou  a ser verdadeiro Alarido, que mais parece as vozes  de  crianças  brincando.  E  em  agradecimento  a gralha passou a plantar o pinheiro.
Lenda do Saci-Pererê
Pequeno ser, negrinho , perneta, sempre pulando numa perna só, capuz vermelho vivo enterrado na cabeça, às vezes fazendo o bem e , muitas outras , o mal. Nas casas, passa a infernizando os afazeres domésticos , queimando a comida, apagando o fogo no meio de uma fervura , escondendo coisas,batendo portas e entornando líquidos. No campo , abre porteiras, espanta a criação e o gado, dispara cavalos, nos quais se comprazem traçar crinas e caudas em emaranhados difíceis de destrançar. Este personagem, visível ou invisível, sempre soltando irritantes assobios e pulando , mais conhecido no sul (também em Portugal),traz em si elementos de diferentes crenças como, por exemplo, do Kilaino, duende que , segundo registro, é "ente maléfico que mor no mato ou nos morros, assume formas diferentes (...) respondendo aos gritos de uma pessoa e gritando para transviar quem anda no mato.

Curiosidades sobre os índios

Alimentação

Cada povo indígena tem sua tradição com relação à alimentação. Eles produzem sua própria comida, seja praticando agricultura para subsistência, em algumas tribos até vendem o excedente da sua plantação, seja por caça e pesca.
O peixe, a banana, a mandioca e o milho são fontes de alimentação n maioria das tribos indígenas.
Na pesca, é comum o uso de substâncias vegetais (tingui e timbó, entre outras) que intoxicam e atordoam os peixes, tornando-os presas mais fáceis e não fazem mal ao homem.
Há divisões de tarefas por sexo. Geralmente as mulheres preparam as comidas enquanto os homens caçam e pescam.
Há tribos que consomem alimentos industrializados que compram com o dinheiro ganhado através do comércio de produtos típicos confeccionados nas aldeias e vendidos em feiras.


As Crianças

Em geral, a vida das crianças indígenas ou curumins como são chamadas é bem diferente das nossas crianças.
Elas vivem muito integradas à natureza, participam das tradições de sua tribo. Aprendem muito observando os mais velhos em suas tarefas diárias.
Também se divertem muito, tomar banho de rio é uma das diversões preferidas. Além disso, brincam de peteca, pião, jogos com sementes, dobraduras, bonecas.
Na maioria das aldeias, os pequenos índios também vão à escola.
Há momentos de contação de história, em que os mais velhos contam histórias para os curumins, há festas tradicionais em que as crianças participam e aprendem assim ,mais da própria cultura.
As crianças indígena são muito respeitadas, os adultos sabem e acreditam que elas estão sempre aprendendo.
Elas convivem com seus animais de estimação: cachorros, macacos, araras, coatis, papagaios.


Mais em:
http://www.qdivertido.com.br/verpesquisa.php?codigo=25#ixzz1qB33f1oC

QUARTA-FEIRA
11/04/2012
QUINTA-FEIRA
12/04/2012
“Confeccionando o chocalho”
“Confeccionando tambor”
DESPERTAR
DESPERTAR
Diversificado
Diversificado
Hora da curiosidade:
A história do chocalho
Hora da curiosidade
História do tambor
Parque com intervenção
Brincando no escorregador
Cabra-cega
Parque com intervenção
Balança caixão
corda.
Lanche/higiene
Lanche/higiene
Roda de conversa
Roda de conversa
Confeccionando chocalho
Confeccionando o tambor
Movimento
Dança com chocalhos
Movimento
Dançando com a turma
SUCO
SUCO
Hora da História
Tutu o Menino Índio
Hora da História
Tutu o Menino Indio
Organização da sala
Organização da sala
Saída
Livrinhos/gibis
Saída
Blocos de construção






0 comentários: